Header Ads

Amor Verdadeiro, Casal do Sertão estão juntos há 70 anos

[caption id="attachment_472" align="alignright" width="620"]entrelace Casal entrelaça as mãos para brindar 70 anos de união em Araripina, PE (Foto: Marcondes/ Arquivo pessoal)[/caption]

Um casal sorridente entrelaça as mãos e brinda com vinho mais um ano juntos. Esse momento romântico é a comemoração de uma união, poderia ser mais uma, entre tantas, que acontecem a luz de velas todos os dias em restaurantes e lares brasileiros, mas não é. Este é um brinde especial, Honório Martins e Maria de Lourdes Alencar, ambos de 88 anos, celebram a longevidade e as bodas de vinho em Araripina, no Sertão de Pernambuco. São 70 anos de casados e uma grande família formada por 11 filhos, 31 netos, 47 bisnetos e quatro tataranetos.

A história de amor desses velhinhos começou aos 17 anos. Honório vivia em Araripina e Maria de Lourdes, em Campos Sales, no Ceará. Os dois se apaixonaram quando a moça, afilhada dos pais de Honório, passou uma temporada em Araripina para ajudar a cuidar da bisavó do rapaz. Com pouco tempo de convivência, eles se envolveram e logo se casaram. Da união, nasceram onze filhos: Francisco, Vilani, Odília, Ilene, Odete, Galdino, Antonieta, Ana, Luilton, Maria de Lourdes e Paulo.
Casal do Sertão estão juntos há 70 anos (Foto: Marcondes/ Arquivo pessoal)

Casal do Sertão estão juntos há 70 anos
(Foto: Marcondes/ Arquivo pessoal)

Para pedir a mão de Maria Lourdes, Honório enfrentou até uma distância de 57 quilômetros. “Meu pai partiu no lombo de um jumento de Araripina para Campos Sales para pedir a mão aos meus avós. Todos aceitaram e eles voltaram casados para Araripina. Eles chegaram até morar em São Paulo. Mas, depois que meu pai recebeu uma herança, foi em Araripina que ele construi uma casa para que todas as filhas estudassem e o sítio, onde eles moram até hoje”, conta a filha Antonieta Lourdes de Alencar, de 60 anos.

Apesar das dificuldades financeiras, Honório conseguiu sustentar a família e conservar, assim como o sabor de bons vinhos, a união durante 70 anos. “Eles sempre viveram bem, mesmo com a falta de dinheiro. Tentaram a vida em São Paulo e sofreram muito, mas deu para criar os onze filhos. Eles nunca se separaram, apenas quando meu pai tinha que trabalhar fora. Ele era agricultor e fazia serviços como pedreiro”, relata Antonieta.
Onze filhosdo casal em Araripina, PE (Foto: Marcondes/ Arquivo pessoal)Onze filhos do casal em Araripina, PE (Foto: Marcondes/ Arquivo pessoal)

Em um desses retornos para a casa, após uma curta temporada em São Paulo, a filha Antonieta relata sorrindo uma história divertida que aconteceu com seus pais e que não pode faltar aos domingos nos almoços de família. “Meu pai foi para São Paulo e quando ele voltou quis fazer uma surpresa para a gente. Ele subiu no telhado para entrar dentro de casa, sem que ninguém percebesse. Mas, a minha mãe pensou que era um desconhecido e meteu chumbo nele. Até que viu que era meu pai”.

Com os onze filhos criados, o casal de idosos mora em um sítio em Araripina. Eles acordam todos os dias com o cacarejado das galinhas. Aos 88 anos, Honório ainda tem disposição e continua  a trabalhar na roça. Já Lourdes, que tem a mesma idade, precisa se preservar mais, devido a um problema respiratório, mesmo assim manda na cozinha e não gosta de entregar a preparação das refeições para qualquer pessoa.
Entrega de quadro do Papa Francisco que concede a benção apostólica ao matrimônio (Foto: Marcondes/ Arquivo pessoal)Entrega de quadro do Papa Francisco que concede
a benção apostólica ao matrimônio
(Foto: Marcondes/ Arquivo pessoal)

No mês de julho deste ano, o sobrinho do casal, o Frei Francisco Sales, que estuda em Roma, na Itália, retornou à cidade pernambucana para fazer a celebração dos 70 anos da união. O religioso ainda trouxe consigo um presente, um quadro do Papa Francisco que concede a benção apostólica ao matrimônio de Honório e Maria de Lourdes.

Na festa familiar, os idosos brindaram as bodas de vinho e foram alvo constantes dos fashes das câmeras dos filhos e parentes. Foi um momento único, não pela data simbólica, mas porque era impossível não querer guardar a imagem do sorriso cúmplice e dos olhos brilhantes daquele casal de idosos, que após 70 anos de casados, só tem um único desejo: continuar envelhecendo de mãos dadas e quem sabe chegar as bodas de Brilhante, festejando os 75 anos dessa linda união.

FONTE: G1