Header Ads

Corpo de Osvaldo Coelho chega à biblioteca da Univasf para ser velado

[caption id="attachment_968" align="alignright" width="620"]Velório de Osvaldo Coelho (Foto: Paulo Ricardo Sobral/ TV Grande Rio) Velório de Osvaldo Coelho (Foto: Paulo Ricardo Sobral/ TV Grande Rio)[/caption]

O corpo do ex-deputado, Osvaldo Coelho, chegou por volta das 9h na Biblioteca da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), onde está sendo velado. O caixão veio de Recife, capital pernambucana, em um voo fretado, junto a alguns familiares, e aterrizou por volta das 8h30 desta segunda-feira (2) no Aeroporto Internacional Senador Nilo Coelho.
A esposa, dona Ana, estava muito abalada pela morte de Osvaldo.
O carro da funerária foi acompanhado por uma fila de veículos, que percorreram várias avenidas de Petrolina. A família estava muito abalada. Filhos, irmãos e netos estavam bastante emocionados no momento do último adeus. Alguns admiradores já aguardavam na Biblioteca a chegada do corpo do ex-deputado.
Os irmãos Augusto Coelho e Geraldo Coelho estavam presentes, mas, não conseguiram falar com a imprensa. A filha de Osvaldo Coelho, Patrícia Coelho, destacou o legado que o pai deixou, não apenas para a família, mas para todos os sertanejos. “Eu diria que papai foi uma pessoa que tinha um amor à vida. Ele agradecia todos os dias por mais um dia. E ele amava este Sertão como ninguém, tanto que ele odiava ficar em qualquer outro lugar e por isso quisemos trazer o corpo dele o mais rápido possível, para que ele ficasse junto aos sertanejos, pessoas que ele tanto amava. O legado que ele deixa é o amor ao trabalho. Ele sempre dizia que não há dificuldade no mundo que muito trabalho não possa passar. Tanto que conseguiu transformar a região, que antes era seca, em um lugar próspero que o Brasil inteiro conhece como produtora de alimentos”, disse.
Patrícia Coelho lembrou ainda a luta pela implantação da Univasf. “Eu dizia a ele: 'Mas papai, o senhor já foi tão humilhado em Brasília, então desista. Ele dizia que não conjugava os verbos desistir e desanimar e completava que só parava quando a universidade estivesse implantada”, contou.
O ex-deputado Osvaldo Coelho morreu na noite do domingo (1º) na sua casa em Recife, capital pernambucana após um ataque cardíaco. Ele tinha 84 anos e mais de 40 dedicado à política em prol do sertanejo. O velório acontecerá na Biblioteca da Univasf e o sepultamento está previsto para às 17h no cemitério Campo das Flores, no Centro de Petrolina.FONTE : G1 Petrolina

[caption id="attachment_970" align="alignright" width="620"]Família chegou abalada na Univasf para velório de Osvaldo Coelho (Foto: Amanda Franco/ G1) Família chegou abalada na Univasf para velório de Osvaldo Coelho (Foto: Amanda Franco/ G1)[/caption]

[caption id="attachment_969" align="alignright" width="300"]Esposa de  Osvaldo Coelho (Foto: Amanda Franco/ G1) Esposa de Osvaldo Coelho (Foto: Amanda Franco/ G1)[/caption]