Maioria dos crimes em Petrolina não chega a ser solucionada, um deles foi a morte do policial da Rocam de Petrolina que foi morto brutalmente no bairro José e Maria, hoje completa um ano após a morte dele

12813897_1763444137209727_6968980038382621623_nUm policial militar que integrava o grupo de Rondas Ostensivas Com Apoio de Motocicletas (Rocam), do 5º Batalhão de Polícia Militar de Petrolina, no Sertão de Pernambuco, foi morto por volta das 2h deste domingo (1º). O crime aconteceu no bairro José e Maria, na Zona Leste da cidade.
Segundo informações da PM, o soldado estava com a esposa em um bar localizado na Avenida Principal Francisco Coelho de Amorim, quando repreendeu um grupo de usuários de drogas. O militar voltou ao bar, após ter deixado a esposa em casa e encontrou o mesmo grupo. Foi iniciada uma discussão e dois dos suspeitos conseguiram fugir.
Um deles voltou ao local e atirou contra o PM. O disparo acertou a nuca do policial que morreu na hora. Na primeira abordagem, o militar ainda tinha anotado a placa de um dos veículos que os criminosos estavam. Após o assassinato, o grupo fugiu em dois carros, um veículo de passeio e uma caminhonete. Ainda não há pista dos envolvidos no crime.
Em nota, o Comando-Geral da PM lamentou e repudiou a ação criminosa que resultou no assassinato do "soldado Edjemmy Silva Santos, morto com um disparo de arma de fogo, após intervir, quando de folga, contra alguns homens que consumiam drogas em um bar".

Conforme a corporação, os responsáveis pelo homicídio já foram identificados. A PM trabalha em conjunto com a Polícia Civil para tentar prender os criminosos. "O episódio deixa a corporação enlutada e irmanada com os familiares, parentes e amigos do soldado Edjemmy, que nos deixa jovem e com relevantes serviços prestados a PMPE e à sociedade pernambucana".

A Polícia Militar acrescentou que "tem acompanhado, desde o primeiro momento, as diligências e determinou todo apoio aos familiares do PM". A nota é assinada pelo comandante-geral da PM, coronel Antônio Francisco Pereira Neto.

TEXTO: G1