Ex jogador Juninho Petrolina e amigo são acusados de estupro de vulnerável contra uma menina de 13 anos



A Delegacia de Polícia da Mulher (Deam), em Petrolina (PE), está investigando uma denúncia de estupro de vulnerável em que são acusados o ex-jogador de futebol Juninho Petrolina e Emerson Castro, amigo do jogador.
Segundo a denúncia prestada na delegacia pela família, no dia 22 de janeiro (domingo) os dois teriam levado uma pré-adolescente de 13 anos para o apartamento do jogador, em um condomínio de Petrolina, oferecido bebidas alcoólicas e estuprado a menina.
A menina conta que pediu a família pra sair no domingo à tarde com uma adolescente de 17 anos, sobrinha do esposo de uma tia dela, que já era conhecida do ex-jogador.
Quando as duas saíram de casa, ela foi surpreendida por Juninho Petrolina e uma amiga que já estavam no carro aguardando as duas garotas.A vítima afirma que nunca tinha visto o jogador antes do fato.
A menina também contou a polícia que Juninho Petrolina e a amiga, maior de idade, levaram ela e a outra adolescente para lanchar na orla de Juazeiro e andar de caiaque. Após o passeio no rio, o jogador teria convidado as duas para irem ao seu apartamento.
Em Petrolina o outro acusado, Emerson Castro, se juntou ao grupo e foram todos para o apartamento do ex-jogador. “Chegando lá eles me ofereceram bebida e chegaram perto de mim dizendo que se eu gritasse ou corresse, seria jogada pela janela”, relatou a garota.
Ela conta ainda que os dois praticaram atos sexuais com ela ao mesmo tempo e que assim que acabaram, Emerson a trouxe para casa em Juazeiro.
Somente depois de quatro dias do ocorrido, a pré adolescente contou a uma vizinha, que levou o fato ao conhecimento da família da vítima.
Em contato com a editora do Preto No Branco, Juninho Petrolina negou que tenha tido contato sexual com a menina, mas afirmou que ela esteve no seu apartamento no domingo (22), juntamente com outras amigas dele. Ele também confirmou que levou a vítima e a outra adolescente para o passeio no rio. O ex-jogador diz que tem testemunhas e vai provar sua inocência.
A menina fez exame sexológico, embora tardio, e está passando por acompanhamento psicológico. Ela já prestou dois depoimentos à delegada Raquel Rabelo Ramalho Ramos, que acompanha o caso, e nas duas oportunidades a vítima reafirmou sua versão de estupro. A Deam está investigando a denúncia e nos próximos dias deverá concluir o inquérito.
Estupro de Vulnerável
O crime de estupro de vulnerável, presente no art. 217-A do Código Penal, traz como conduta típica ter conjunção carnal ou praticar ato libidinoso com menor de 14 (catorze) anos de idade, mesmo diante de eventual consentimento e experiência sexual da vítima, ou seja, para a configuração do delito de estupro de vulnerável, são irrelevantes a experiência sexual ou o consentimento da vítima menor de 14 anos. A pena – reclusão, de 8 (oito) a 15 (quinze) anos.
Oferecer Bebida Alcoólica à criança e adolescente
Também segundo o Eca – Estatuto da Criança e do Adolescente, artigo 243, é crime vender, fornecer, servir, ministrar ou entregar, ainda que gratuitamente, de qualquer forma, a criança ou a adolescente, bebida alcoólica ou sem justa causa, outros produtos cujos componentes possam causar dependência física ou psíquica. A pena – detenção, de 2 (dois) a 4 (quatro) anos, e multa, se o fato não constitui crime mais grave.

Fonte : pretonobranco.org