Header Ads

Paralisação dos médicos deixa quase 2 mil pessoas sem atendimento em Petrolina

Cerca de 2 mil pacientes que estavam com consultas agendadas para esta terça-feira (25) ficaram sem atendimento, Os médicos da rede municipal de Petrolina cumpriram a ameaça e iniciaram nessa terça-feira, a paralisação de advertência de 72 horas, cerca de 58 médicos paralisaram suas atividades, já nos Centros de Atenção Psicossocial e AME Policlínica, foram 5 especialistas, apenas o atendimento médicos foi suspenso, os outros serviços estão funcionando normalmente.

Com relação ao reajuste salarial, a prefeitura municipal de Petrolina informa que concedeu um reajuste de 6.29%, mais não foi aceito pela categoria.

Nota da prefeitura:

Com relação ao reajuste salarial, a prefeitura municipal de Petrolina informa que concedeu um reajuste de 6.29%, a ser implantado na folha do mês corrente das categorias de leis especificas dos servidores oriundos da Secretaria de Saúde, inclusive os médicos. A proposta inicial, levando em consideração que esses servidores foram penalizados nos anos anteriores, seria de um reajuste de 5%, em cima do salário base, custeado com recursos próprios.

Após várias rodadas de negociações, o prefeito Miguel Coelho autorizou, mesmo em um cenário de dificuldade econômica, alterar o reajuste para 6.29%. Mesmo diante de um quadro de dificuldade financeira e ausência de repasses dos programas federais para a viabilidade do aumento salarial dessas categorias, a gestão municipal resolveu assumir os custos do reajuste, a fim de que todos os servidores fossem contemplados.

Os médicos do município foram os únicos que não aceitaram a proposta do reajuste salarial. A prefeitura está aberta ao diálogo para resolver esse impasse e não prejudicar os serviços oferecidos à população.

Sobre as condições estruturais das unidades, a Secretaria de Saúde informa que assim que a gestão assumiu, foi realizado imediatamente um levantamento dos prédios da rede, identificando essa situação deixada pela gestão passada, a partir daí, foi solicitado um estudo com o setor de engenharia e os reparos iniciaram na última semana, seguindo um cronograma.