Polícias de Pernambuco, Paraíba e Bahia prendem em Juazeiro acusado de praticar triplo homicídio em Petrolina






pós trocas de informações entre o 5° BPM/GATI  e Polícia Civil da Paraíba, foi montada uma operação com o objetivo de prender o acusado de participar do triplo homicídio no Serrote do Urubu, ocorrido no dia 16 de Janeiro na zona rural de Petrolina.
As equipes acompanharam um familiar do acusado que estaria na Vila 12, em Petrolina e saberia o paradeiro do foragido, que foram até à cidade de Juazeiro, no bairro Itaberaba e com o apoio da RONDESP NORTE, cercaram o Residencial Juazeiro III, local onde foi encontrado, André Lius Ferreira da Silva de 22 anos, através um mandado de prisão, sendo o último suspeito de participação no crime do assassinato triplo de Expedito Henrique Sampaio (42 anos), Severina Ana da Conceição (76 anos) e Expedito Janerson Silva Sampaio (13 anos).
 O acusado foi detido e conduzido para a Delegacia de Polícia Civil para as providências cabíveis.
O outro suspeito, um adolescente de 17 anos
Um adolescente de 17 anos, que se encontra apreendido na Funase de Petrolina também participou da chacina familiar.
O adolescente teria sido o autor dos disparos de arma de fogo, efetuados contra Expedito Henrique Sampaio de 42 anos. O outro suspeito, André Lius, foi quem atirou contra a idosa de 72 anos, Severina Ana da Conceição e no menor de 13 anos. Eles estavam em uma motocicleta.
Segundo informações da delegada do caso Sara Machado, juntamente com Marceone Ferreira, a vítima e os autores do crime eram envolvidos com o tráfico de drogas na localidade. Todos residiam no Serrote do Urubu.
O crime
“Expedito, que foi assassinado primeiro, estaria envolvido na morte do irmão desse adolescente de 17 anos que foi apreendido pela nossa equipe. Esse homicídio aconteceu em Juazeiro na Bahia. Então esse adolescente se juntou a André e por vingança tinha a intenção de matar Expedito. Já o André tinha por motivação algumas desavenças com a vítima, que teria ameaçado o acusado”, disse a delegada Sara Machado.
No dia do crime, a situação ficou fora de controle quando o menor de 13 anos acordou ao ouvir o barulho dos tiros, assim como a idosa que perguntou ao neto o que estava acontecendo.
“O menor ao acordar teria dito a avó, que quem estava do lado de fora era André. Eles já conheciam as vítimas que frequentavam constantemente a residência dos mesmos. Então, por conta disso, a idosa, que estava no quarto e a criança foram assassinadas. A informação é de que o adolescente teria executado Expedito e o foragido matou a idosa e o menor, como forma de evitar que as testemunhas falassem algo após o crime, uma maneira na verdade de tentar atrapalhar as investigações”, contou a delegada.


Fonte: Blog Edenevaldo Alves