Homem mata médica e finge ser ela no WhatsApp por dois meses para enganar a família

A Polícia Civil do Distrito Federal prendeu, nesta semana, um homem de 32 anos suspeito de matar uma médica do Hospital Regional de Taguatinga (HRT). Durante dois meses, Rafael Henrique Silva Dutra, fingiu ser a médica Gabriela Rabelo Cunha, de 44, em sua conta do WhatsApp. O motorista particular da profissional de saúde confessou o crime que aconteceu em Taguatinga (DF). O crime aconteceu em outubro do ano passado quando o suspeito levou a médica do hospital onde ela era diretora até um banco, onde a vítima  fez uma transferência bancária para o motorista.
Quando estavam retornando para Taguatinga, o motorista estacionou o veículo em uma parada de ônibus, alegando que tinha ouvido um barulho na roda. De acordo com a polícia, nesse momento, um comparsa entrou no carro, simulou um assalto e determinou que todos seguissem rumo a Brazlândia.
Próximo a uma estrada de chão, o motorista teria parado o automóvel e enforcado Gabriela. O corpo dela foi deixado no local. O suposto comparsa não foi detido.
Durante as conversas, ao se passar por Gabriela, o suspeito enviava mensagens onde dizia que ela "estava internada em uma clínica de repouso para tratar de problemas pessoais, e retornaria no Natal".

A princípio a família não suspeitou, pois a médica costuma se internar para tratar de depressão. Porém, os erros de português nas mensagens e a demora do retorno da vítima intrigaram os familiares que registraram um boletim de ocorrência na polícia.

Nenhum comentário